Tocantins envia bombeiros para ajudar nas buscas em Recife

Experientes, as equipes participaram de ações semelhantes no desastre em Petrópolis-RJ, em fevereiro deste ano

O Governo do Tocantins autorizou e o Corpo de Bombeiros Militar enviou ao estado de Pernambuco, Região Nordeste do país, duas equipes de militares com duas cadelas da Companhia Independente de Busca e Salvamento (CIBS) para ajudar nas ações de buscas e salvamentos de vítimas das chuvas que atingem a região. Até o momento, segundo fontes oficiais, foram confirmadas 90 vítimas fatais no desastre e 20 pessoas ainda estão desaparecidas.

As equipes saíram de Palmas na madrugada desta terça-feira, 31, e devem chegar à capital pernambucana, Recife, nas próximas 24 horas e se integrar à força-tarefa que procura pelos desaparecidos entre os escombros.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, coronel Carlos Eduardo Souza Farias, explica que o apoio dos corpos de bombeiros militares de outros estados está sendo articulado por intermédio do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom), que já teve atuação integrada decisiva em outros desastres nacionais. 

“Essa é uma ação específica e faz parte da política do Ligabom. As estruturas dos corpos de bombeiros estão prontas para ajudar em situações específicas, sejam elas de que natureza for, como aconteceu, por exemplo, no desastre de Petrópolis-RJ, em fevereiro deste ano. Levamos a demanda ao Governo do Tocantins e recebemos total apoio para que enviássemos as equipes para Recife”, explicou o coronel Farias.

Ao decidir por enviar as equipes, o governador do Tocantins, Wanderlei Barbosa, levou em conta a grande necessidade de apoiar a força-tarefa nas buscas pelos desaparecidos entre os escombros, além de entender o sofrimento das famílias vitimadas pelos temporais.

“É uma situação triste e que nos chama para compartilhar o nosso apoio. Naquilo que pudermos, nós faremos pelo Recife. Neste momento, nossos esforços seguem com essas duas equipes e desejamos o pronto e bem-sucedido empenho dos militares e cães, com vasta experiência em missões dessa natureza”, afirmou o governador Wanderlei Barbosa.

A equipe enviada é composta pelos binômios (homem/cão) subtenente Raphael Mollo, diretor de Cinotecnia do Corpo de Bombeiros Militar, com a premiada cadela Sky; e o cabo Raphael Gusmão com a cadela Dory. Para auxiliá-los, também está na missão o cachorreiro cabo Magno Valadares. 

A cadela Sky, da raça Malinoi, tem quatro anos de idade e uma vasta experiência em atuações em ocorrências bem-sucedidas em buscas de pessoas desaparecidas. A cadela Sky foi certificada internacionalmente em 2019, após ser aprovada com seu tutor em provas no Sul do Brasil.

Experiência Petrópolis
As duas equipes atuaram bravamente nas buscas por vítimas soterradas pelos escombros das fortes chuvas em Petrópolis, em fevereiro. Durante duas semanas, os militares tocantinenses se revezaram na cidade fluminense, contribuindo significativamente com as famílias ansiosas por encontrar os corpos dos entes. Foram cinco indicações dos cães tocantinenses apontando o local exato onde os corpos das vítimas estavam soterrados, além de descartar muitas regiões onde havia pessoas procurando por vítimas.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp