Com palestra do corregedor nacional da Justiça, 3º Encope tem início nesta quarta-feira (7)


O Poder Judiciário realiza, nos dias 7 e 8 de fevereiro, o 3º Encontro de Juízes(as) Corregedores(as) Permanentes e Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Tocantins (Encope), que terá como tema “Corregedorias Locais: Aperfeiçoando os Serviços da Justiça Estadual”. O primeiro dia de programação (7/2) será realizado no auditório do Tribunal de Justiça do Estado do Tocantins e contará com palestra magna do corregedor nacional de Justiça, ministro Luís Felipe Salomão, sobre a atuação da Corregedoria Nacional de Justiça. Evento é aberto à sociedade e terá certificação aos estudantes universitários. 

Ainda na noite de abertura, haverá entrega do Prêmio Gestão Judiciária Ministro Sálvio de Figueiredo Teixeira e lançamento do Certificado Amigo do Adolescente Acolhido (Provimento nº. 10/2023/CGJUS). A programação cultural fica à cargo da Universidade da Maturidade (UMA), que se apresentará aos convidados.

Já na quinta-feira (08/02), a programação segue de modo exclusiva para juízes(as) corregedores(as) permanentes e assessores(as), na Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat). As atividades envolvem oficinas temáticas, lançamento do Módulo de Correição – SICOR, palestras, apresentação de painéis,  exposições e compartilhamento de boas práticas pelos corregedores permanentes. Ao final haverá plenária, elaboração e leitura da carta do encontro.

Mais informações: 

Editais 002/2024 (Palestra) e 008/2024 (Encontro).

Confira a programação:

ENCOPE

O Encope foi instituído pela Corregedoria-Geral da Justiça do Tocantins (CGJUS-TO) através do Provimento Nº 9 como uma política institucional. 

Os principais objetivos incluem a integração entre juízes(as) corregedores(as) permanentes e a Corregedoria-Geral da Justiça, o debate crítico sobre temas relevantes para as atividades correcionais, a discussão das transformações estruturais e culturais para a modernização e efetividade da atuação do primeiro grau de jurisdição, a definição de diretrizes e critérios administrativos, o incentivo e intercâmbio de boas práticas inovadoras, a capacitação das atividades correcionais, a proposição de soluções às corregedorias e a difusão e execução do Planejamento Estratégico da Corregedoria-Geral da Justiça no primeiro grau de jurisdição.



FONTE

Comentários estão fechados.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp