Comitê Gestor de Inovação delibera sobre ações realizadas pelo Inovassol e metas para 2024 

[ad_1]

“Estamos com a estrutura física 99% pronta. Queremos que seja um espaço bem democrático e de parcerias com a sociedade em geral”, destacou a presidente do Comitê Gestor de Inovação do Poder Judiciário do Tocantins (PJTO), desembargadora Ângela Prudente. A fala da magistrada se refere ao Inovassol, centro de inovação que está em processo de instalação física no Tribunal de Justiça, durante reunião do Comitê, realizada na manhã desta quinta-feira (23/11).   

Na ocasião, a desembargadora Ângela Prudente trouxe para deliberação dos membros a proposta de inclusão de representante do Centro de Comunicação Social (Cecom) no grupo. A presidente da comissão defende que o departamento desempenha um papel importante no processo de difusão da cultura da inovação e, também, no estreitamento da comunicação com os públicos interno e externo.

A proposta foi aprovada e, agora, deverá ser encaminhada à Presidência do TJTO para inclusão do nome do representante do Cecom na portaria que designa os membros do Comitê Gestor de Inovação.

Ações e metas 
Durante reunião, foram apresentadas as ações e capacitações desenvolvidas neste ano, a exemplo de cursos, oficinas, I Maratona Inovassol, mentorias e a Palestra Inovação Aplicada ao Setor Público, realizada no dia 22 de setembro, com a certificação de 421 participantes.

Também foram apresentadas as metas para o próximo ano, como as demandas de capacitações na área de inovação encaminhadas para a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (Esmat).   

Serviços
A Carta de Serviços oferecidos pelo Inovassol também foi apresentada e explicada aos membros do comitê. Com a ideia central do girassol, surgiram os serviços: Semear (difusão da cultura da inovação), Raízes (investigação das causas dos problemas relatados pelo Poder Judiciário), Iluminar (pensar em formas inovadoras para resolução dos problemas selecionados no “Raízes”), Florescer (transformar as ideias em formatos tangíveis e testá-las), Cultivar (mentoria para evitar que o projeto não tenha seguimento), Podas (desburocratização dos processos de trabalho) e SimplesToc (Programa de Simplificação da Linguagem do PJTO).  
Durante a reunião, a desembargadora Ângela Prudente trouxe uma breve retrospectiva sobre a política de inovação no Judiciário, que teve início em 2021, visando, principalmente, a difusão da inovação, com a modernização de métodos e técnicas de desenvolvimento do serviço Judiciário. 

“Eu vejo com muito bons olhos essa preocupação com a política da gestão da inovação”, disse a presidente do Comitê Gestor de Inovação, enfatizando que a gestão atual do TJTO, da desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, tem a inovação como um dos carros-chefe do seu plano de gestão. 

Presentes
A reunião contou a participação dos juízes auxiliares da Presidência do TJTO, Roniclay Alves de Morais e Rosa Maria Gazire Rossi; juiz auxiliar da Corregedoria-Geral da Justiça, Esmar Custódio Vêncio; os diretores Wallson Brito da Silva (Judiciário), Alice Carla de Sousa Setúbal (Tecnologia da Informação) e Kézia Reis (Comunicação); bem como os coordenadores João Ornato Brito (Gestão Estratégica, Estatística e Projetos), Leila Jardim (Gestão Socioambiental) e Alessandra Adorno (Ouvidoria); e as servidoras Lily Sany Silva Leite (Esmat), Ana Berenice de Aguiar Santana (Inovassol) e Kamilla Sousa Prado (gab, desembargadora Ângela Prudente).

[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.