palestras sinalizam novas tendências da tecnologia e seus impactos no sistema de Justiça

[ad_1]

Enastic: palestras sinalizam novas tendências da tecnologia e seus impactos no sistema de Justiça

1 Visualizações

Publicado: 20 de março de 2024 – Última Alteração: 20 de março de 2024

Oitavo encontro reúne servidores de MPs e TCs de vários estado do país

O futuro do trabalho, a inovação e o uso da inteligência artificial para otimizar processos e facilitar a automação de tarefas nas unidades do Ministério Público e nos Tribunais de Contas de todo o país foram os principais temas abordados durante as palestras e painéis realizados nesta terça-feira, 19, primeiro dia do 8º Encontro Nacional de Tecnologia e Inovação dos Ministérios Públicos e Tribunais de Contas (Enastic). 

Com o tema “Conexões que Transformam”, o encontro é sediado pelo Ministério Público  do Tocantins (MPTO) e Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE-TO), e realizado em parceria com o J.Ex. Considerado um dos maiores eventos de tecnologia e inovação do país. O Enastic segue até a próxima quinta-feira, 21, em Palmas. 

Já na primeira palestra, a inteligência artificial (IA) foi apresentada na prática pelo advogado, ativista de inovação e idealizador do J.Ex., Ademir Piccoli. “O futuro do trabalho na Justiça está pautado pela integração humana e tecnológica. Temos aqui um exemplo prático, minha palestra foi elaborada por ferramentas e aplicativos de IA”, disse ele, reforçando que a inteligência artificial é uma tecnologia que invadiu “as nossas vidas e a sua utilização na Justiça e serviços públicos vai facilitar a vida do cidadão”.

Futuro

O head de inovação da Ayoo, diretor de criação do Disruptive, Luiz Candreva, compartilhou seis lições que podem guiar empresas, governos e indivíduos frente às transformações sociais e tecnológicas. “O futuro é de quem sabe navegar no caos e fica confortável nele”, reforçou ele.

Para Candreva, é necessário se preparar a partir de dados, cenários, perspectivas e não somente por opiniões. “É preciso enxergar para além das perspectivas pessoais”, disse ele, acrescentando que o profissional mais valioso é aquele que terá capacidade de resolver problemas complexos. “Peço a todos que ampliem suas caixas de ferramentas. Busquem aprender coisas novas todos os dias. Assim estará mais preparado para o futuro”, finalizou. 

Encerramento 

O exemplo de ferramentas de automação de tarefas com recursos em inteligência artificial desenvolvidos pelo Ministério Público da Bahia (MPBA) finalizou o primeiro dia do Enastic. 

A apresentação foi realizada pelo promotor de Justiça e presidente do Comitê Estratégico de TI do Ministério Público da Bahia (MPBA),  Fabrício Rabelo Patury.

(Texto: Raquel Oliveira – Fotos: Marcelo de Deus – MPTO)

[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.