Polícia Civil prende homem investigado por estupro de vulnerável

[ad_1]

Abusos ocorriam na residência do suspeito que também era padrinho da vítima.

Foto: Divulgação/DICOM SSP TO

Foto: Divulgação/DICOM SSP TO

Um homem de 35 anos, investigado por estrupro de vulnerável, foi preso pela Polícia Civil do Tocantins (PC-TO), na manhã desta sexta-feira, 9, na cidade de Araguatins, extremo Norte do Estado.

A ação, que resultou na captura do indivíduo foi deflagrada por policiais civis da 1ª Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher e Vulneráveis (1ª DEAM – Araguatins), com apoio da 10ª DP, daquela cidade, e ocorreu em cumprimento a mandado de prisão preventiva, expedido pela Vara Criminal da Comarca de Araguatins, após investigações da Polícia Civil.

Conforme explica a delegada Daniela Caldas, no decorrer das investigações restou apurados que o investigado ganhou a confiança da família e passou a ser padrinho da vítima que à época dos fatos possuía apenas sete anos de idade, ocasião em que convenceu os familiares a deixá-lo levar a criança para sua casa sob o pretexto de brincar com sua filha que tem a mesma idade. Ocorre que ao chegar à residência não havia ninguém, circunstância em que aproveitou para abusar da criança.

CARNAVAL DE GURUPI 2024

Ainda de acordo com a autoridade policial, a própria vítima, que atualmente possui 12 anos de idade, ligou para o Conselho Tutelar e fez a denúncia que desencadeou toda a apuração. “A vítima também relatou que devido ao medo e por ter ficado um período longe do investigado decidiu não fazer a denúncia, mas que no final do ano de 2023 teve contato com o abusador e com receio de acontecer novamente os abusos decidiu denunciar”, frisou a delegada.

Após ser localizado e preso, o indivíduo foi conduzido à sede da 3ª Central de Atendimento da Polícia Civil, em Araguatins, onde a autoridade policial plantonista ratificou a prisão e após a realização dos procedimentos legais cabíveis, o investigado foi recolhido à Cadeia Pública local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.



[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.