Portal do Ministério Público do Estado do Tocantins

[ad_1]

Diante do aumento dos casos de dengue, zika e chikungunya no Município de Palmas, o Ministério Público do Tocantins (MPTO) instaurou, nesta quarta-feira, 21, procedimento administrativo com o objetivo de acompanhar e fiscalizar as ações de saúde realizadas pela gestão pública municipal.

Diante disso, o promotor de Justiça Thiago Ribeiro, que atua na área da saúde pública da capital, requisitou à Secretaria Municipal da Saúde de Palmas informações sobre quais medidas de prevenção e controle estão sendo realizadas para combater o vetor da dengue, zika e chikungunya e quais ações estão sendo desenvolvidas para reduzir o índice de infestação do mosquito aedes aegypti no município.

Também foi solicitado esclarecimento sobre o fluxo de atendimento dos casos suspeitos das doenças nas unidades básicas de saúde e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), bem como se há profissionais, insumos, medicamentos e demais itens necessários para o manejo clínico. 

A Secretaria Municipal de Saúde ainda deverá enviar os relatórios das visitas domiciliares realizadas pelos agentes comunitários de saúde e agentes de endemias, para controle do aedes aegypti, além de explicar se são disponibilizados testes rápidos à população e se a gestão tem buscado parcerias institucionais visando a redução de casos de dengue, zika e chikungunya.

Aumento dos casos

Dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES-TO), relativos às primeiras semanas de 2024, revelam aumento nos casos de zika (125%) e dengue (107,2%) em relação ao ano anterior.

Os Boletins Epidemiológicos de Arboviroses, da Secretaria Municipal da Saúde de Palmas, confirmam o aumento de casos notificados de cada doença, bem como a ampliação no número de casos suspeitos de dengue com sinais de alarme ou gravidade.

(Shara Alves de Oliveira/MPTO)



[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.