Portal do Ministério Público do Estado do Tocantins

[ad_1]

Um mergulho nas possibilidades ilimitadas do uso de Inteligência Artificial (IA) foi o tom do segundo dia do 8º Encontro Nacional de Tecnologia e Inovação dos Ministérios Públicos e Tribunais de Contas (Enastic), que aconteceu nesta quarta-feira, 20 de março, nos auditórios do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins (TCE/TO) e do Ministério Público (MPTO), em Palmas.

Após a abertura feita pelo procurador-geral de Contas, Oziel Pereira dos Santos, a programação começou com a palestra do especialista Leandro Mattos, sobre IA Generativa (ferramenta que possibilita criar conteúdos, como texto, imagens, música, áudio e vídeos). O palestrante prendeu a atenção dos presentes falando sobre transformação tecnológica. Ele deu exemplo das possibilidades de utilização apresentando um vídeo 100% produzido por Inteligência Artificial, desde as imagens, locução até a trilha sonora, edição e apresentação.

Ainda em sua palestra, Leandro Mattos provocou os participantes a pensarem sobre a democratização das ferramentas, com foco na melhoria do serviço prestado à sociedade. “Nós estamos vendo a IA como um produto, mas, na verdade é um meio de transformação social”. 

Tecnologia transformando a vida das pessoas

A programação teve sequência com as apresentações do gerente comercial da Divisão de Governo da Positivo, Rafael Leandro dos Santos, que falou sobre o impacto dos avanços tecnológicos na sociedade, e do executivo de Contas de Setor Público da Dell Technologies, Luciano Valadares. Ele abordou o tema “Infraestrutura como Serviço em Datacenter de Governo”.

O futuro do trabalho no ecossistema de justiça norteou as discussões do painel integrado por três expositores: o promotor de justiça do Ministério Público de Santa Catarina, membro auxiliar do Conselho Nacional dos Ministérios Públicos (CNMP) e coordenador da Estratégia Nacional do MP Digital, Guilherme André Pacheco Zattar; o procurador-geral adjunto de Justiça Institucional do Ministério Público do Mato Grosso do Sul (MPMS), Paulo César Zeni; e o idealizador da J.Ex., empresa responsável pelo conteúdo e programação do Enastic, Ademir Piccoli. Os riscos e benefícios da utilização de tecnologias inteligentes foram os assuntos debatidos pelos convidados. O exemplo mais comum apresentado por todos é o ChatGPT, que se tornou comum e bastante conhecido nos últimos meses. 

A manhã foi encerrada com as trocas de opiniões e experiências dos expositores do painel “Inteligência Artificial Generativa e as novas fronteiras da transformação digital”: Fábio Correa Xavier, diretor do Departamento de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE/SP); Rainério Rodrigues Leite, secretário de TI e Evolução Digital do Tribunal de Contas da União (TCU); João Claudio Pizzato Sidou, subprocurador-geral de Justiça do Ministério Público do Rio Grande do Sul; e Rodrigo Fogagnolo Mauricio, promotor de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), também cofundador do Núcleo de Combate aos Crimes Cibernéticos do MPDFT.

No início da tarde, Moacyr Rey Filho, conselheiro do CNMP e presidente da Comissão de Planejamento Estratégico (CPE) e da Estratégia Nacional do MP Digital, falou sobre a necessidade e importância da modernização dos sistemas no âmbito dos Ministérios Públicos, como estrutura de trabalho. 

Houve um painel, logo em seguida, com o tema “Infraestrutura um imperativo para ambientes com cargas de trabalho computacional complexas”, com Paulo Célio Soares da Silva Júnior, secretário de Tecnologia da Informação do CNMP, Paulo Cesar Allebrandt, coordenador de Tecnologia da Informação do MP do Estado de Santa Catarina e Luciana Freitas, analista do MP da União.

Visão de futuro


O universo dos dados como futuro na perspectiva dos Ministérios Públicos e Tribunais de Contas foi apresentado por Perácio Feliciano Ferreira, diretor de Relações institucionais da Toccato, grupo empresarial com sede em Florianópolis (SC), referência em Business Intelligence e que propõe transformar dados em soluções de negócio. “A inteligência artificial não estará no futuro das ações, ela já está presente em tudo que é tecnologia”, afirmou Perácio.

Ao longo do segundo dia do evento ainda ocorreram treinamentos, reunião técnica e apresentação de um projeto pioneiro no Brasil, o “Acerta SC”, desenvolvido para evitar a judicialização da cobrança de créditos tributários. 

O Enastic 2024 continua com programação nesta quinta-feira, 21. Confira no link os temas das palestras, painéis e workshops.



[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.