Presidente e Corregedora do TJTO prestigiam solenidade de posse de novos(as) conselheiros (as) do CNJ


A presidente do Tribunal de Justiça do Tocantins (TJTO), desembargadora Etelvina Maria Sampaio Felipe, e a corregedora-geral da Justiça do Tocantins, desembargadora Maysa Vendramini Rosal, participaram nesta terça-feira (20/2) da solenidade de posse dos seis novos integrantes do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), sendo quatro conselheiras e dois conselheiros. Também prestigiou a posse, a juíza auxiliar da Presidência do TJTO, Rosa Maria Gazire Rossi.

A solenidade conduzida pelo presidente do CNJ e STF, ministro Luís Roberto Barroso, ocorreu no Plenário do Conselho Nacional de Justiça e foi transmitida ao vivo pelo canal do CNJ no YouTube. Ao cumprimentar os novos conselheiros e conselheiras, o ministro destacou o papel dos juízes e juízes brasileiros, ressaltando o compromisso em fazer justiça e servir à sociedade. “Um juiz íntegro, um juiz vocacionado e um juiz trabalhador é uma benção para a democracia, para a cidadania e para a justiça”.

Foram empossados conselheiros(as) do CNJ o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) Caputo Bastos; o desembargador José Rotondano, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA); a desembargadora federal do Tribunal Regional Federal da 3.ª Região (TRF-3) Mônica Nobre; a juíza Renata Gil, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ); a juíza federal Daniela Madeira, do Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2); e a advogada da União Daiane Nogueira de Lira.

“Os conselheiros do CNJ são fundamentais para o bom andamento do Judiciário brasileiro, são elos importantes de orientação e desenvolvimento dos tribunais. Hoje, para nós do Tocantins, é um dia ainda mais especial ao prestigiarmos dentre os empossados nomes como o do desembargador Rotondano e da juíza Renata Gil, amigos e parceiros da Justiça tocantinense”, afirmou a presidente do TJTO.

“Dos seis novos integrantes, dois são representantes de tribunais de justiça, o desembargador José Rotondano e a juíza Renata Gil. É uma grande alegria vê-los representando a justiça estadual no Conselho; são pessoas extremamente capacitadas e eu tenho certeza que chegam para somar”, complementou a corregedora do Tocantins.

Acordo
Ainda durante a sessão, o CNJ celebrou acordo de cooperação técnica com a Fundação Getúlio Vargas (FGV) voltado à ampliação do ingresso de pessoas negras e indígenas na carreira da magistratura brasileira. A ação prevê a implantação do Programa CNJ de Ação Afirmativa, que vai conceder bolsa de estudo em cursos preparatórios previamente credenciados e bolsa de manutenção pelo período de até dois anos após o ingresso na carreira.

 



FONTE

Comentários estão fechados.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp