Em Araguaína, corregedora destaca diálogo e transparência como ferramentas de aprimoramento dos serviços prestados à sociedade


Com a participação de aproximadamente 100 pessoas, foi realizada nesta terça-feira (02/04) a solenidade de abertura da correição geral ordinária na comarca de Araguaína, que engloba o município sede e os distritos de Aragominas, Carmolândia, Muricilândia, Nova Olinda e Santa Fé do Araguaia. Esta é a quarta comarca a receber a visita da Corregedoria-Geral da Justiça do Tocantins (CGJUS) este ano; ao todo, 10 serão correicionadas em 2024.

Destacando o lema da gestão 2023-2025 da CGJUS, que tem  como pilares de atuação o diálogo e a transparência, a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maysa Vendramini Rosal, frisou durante a abertura dos trabalhos que a correição é um processo conjunto de aprimoramento dos serviços prestados pelo judiciário.

“Este momento representa uma oportunidade ímpar para avaliarmos e aprimorarmos os serviços judiciais e extrajudiciais prestados à sociedade. Nossa presença aqui não simboliza tão somente o cumprimento de um protocolo, mas reflete o compromisso inabalável com a transparência, a eficiência e a justiça, fundamentais para a credibilidade do poder judiciário”, disse.

Diálogo aberto

Antes da solenidade de abertura, a corregedora se reuniu com os servidores e magistrados para um momento de escuta e diálogo, com o objetivo de compreender melhor a realidade e as demandas da comarca. Conforme destacou o juiz diretor do Foro, Fabiano Ribeiro, este é um espaço necessário para que os servidores possam se manifestar abertamente. O magistrado ainda reforçou que “a corregedoria hoje trabalha de forma a buscar conhecimento e distribuir esse conhecimento para ajudar a aprimorar os serviços prestados” e que todos estão empenhados em “entregar uma justiça mais eficaz para a sociedade”.

Homem calvo com cabelo preto e blusa social preta fala ao microfone
Juiz Fabiano Ribeiro e o diretor do Foro da comarca de Araguaína

Para o juiz auxiliar dos Serviços Administrativos e dos Órgãos do Primeiro Grau de Jurisdição da CGJUS, Arióstenis Guimarães, o objetivo da correição está na ampliação do diálogo com as comarcas, na compreensão das demandas de cada localidade e na valorização do capital humano. “Não é possível fazer isso sem diálogo, sem transparência. Vamos caminhar prezando pelo diálogo, tendo a exata compreensão da necessidade de ouvir para podermos avançar”, disse.

 

Homem de terno cinza grisalho com óculos fala ao microfone

O juiz auxiliar supervisor dos Serviços Notariais e de Registro, Esmar Custódio Vêncio Filho, também teve um momento de conversa com os delegatários dos serviços extrajudiciais que atuam na comarca de Araguaína e frisou a necessidade deste contato mais próximo. “A importância dos cartórios é muito grande e a Corregedoria tem dado esse valor aos serviços extrajudiciais; neste sentido, as reuniões que promovemos têm um viés de apoio, ajuda e troca de ideias”, afirmou.

Homem grisalho e terno preto fala ao microfone

Parcerias

Reforçando a importância da parceria interinstitucional para o aprimoramento dos serviços prestados à sociedade, o dispositivo de honra da solenidade contou com a presença de representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Associação dos Magistrados do Tocantins (Asmeto), Ordem dos Advogados do Brasil e Associação dos Notários e Registradores do Tocantins (Anoreg). 

“Aprimorar processos, rever rotinas, estabelecer novos parâmetros e diretrizes e também ampliar o diálogo com juízes, servidores, titulares de cartórios judiciais e extrajudiciais, representantes de instituições e a própria população; isso se torna fundamental para atingir o objetivo final que todos nós almejamos, ou seja, melhorar os serviços prestados à nossa sociedade com rapidez, segurança e resolutividade, pontuou a promotora de Justiça Valéria Buso.

Mulher branca, loira com blazer preto e blusa branca com estampa fala ao microfone

“Neste momento, é importante reafirmar que não existe mais a ideia da corregedoria estar presente para punir; os pilares da atividade correicional estão na cooperação e no aprimoramento do serviço público, que tem apenas um destinatário, que é a população e que conta com  o apoio de todos juntos, incluindo a segurança pública, Ministério Público, Defensoria e OAB”, ressaltou o defensor público Felipe Cury.

Homem branco, cabelo preto e terno preto fala ao microfone

“É fundamental que a corregedoria venha, escute, dialogue, compreenda a realidade da comarca e as demandas existentes. Os desafios são cada vez maiores e essa presença é necessária”, destacou o presidente da Asmeto, juiz Alan Martins.

Homem branco grisalho com terno preto fala ao microfone

“Não queremos uma justiça de números e metas, mas uma justiça efetiva e humana; eu parabenizo os servidores e magistrados pelo empenho, apesar das dificuldades; a OAB estará sempre participando da correição”, disse o presidente da seccional da OAB em Araguaína, Davi Morais.

Homem com cabelo preto grisalho e terno preto fala ao microfone

“Elogio a Corregedoria em dois pontos essenciais: regularização fundiária e tecnologia. A desembargadora deu vazão ao projeto que já havia sido implantado,  com ênfase na Regularização Fundiária Urbana; e avançamos muito também com o Gise (Sistema de Gestão Integrada das Serventias Extrajudiciais do Tocantins), que contribui para caminharmos em direção ao modelo ideal de um ‘cartório sem papel’. Estamos à disposição para contribuir”, afirmou o presidente da Anoreg, Valdiram Rocha.

Homem negro com barba branca e terno azul marinho fala ao microfone

Também prestigiaram o evento o presidente do Colégio Notarial do Brasil, seccional Araguaína, André Fontanela; o subcomandante do 2º Batalhão da Polícia Militar em Araguaína, Major Sousa Costa; o chefe da Delegacia da Polícia Federal em Araguaína, delegado Alan Reis; o representante da Polícia Rodoviária Federal, Gilson Cezar de Castro; o subcomandante do 2º Batalhão do Corpo de Bombeiros em Araguaína, Capitão Regis Mourão; delegatários de todos os municípios que compõem a comarca e servidores do Fórum de Araguaína. 

Do fórum de Araguaína estiveram presentes os servidores e os Juízes, Carlos Roberto De Sousa Dutra; Deusamar Alves Bezerra; Antônio Dantas de Oliveira Junior; Renata Teresa da Silva Macor; Kilber Correia Lopes; Álvaro Nascimento Cunha; Gisele Pereira de Assunção Veronezi; Herisberto e Silva Furtado Caldas; Cirlene Maria de Assis Santos Oliveira.

Visita

Ainda na terça-feira (02/04), a corregedora visitou as novas instalações do Cartório de Protestos de Araguaína. O delegatário Valdiram Rocha assumiu a serventia extrajudicial por meio do Concurso Público de Provas e Títulos para Outorga de Delegação de Serventias Extrajudiciais de Notas e de Registro do Estado do Tocantins, finalizado em janeiro deste ano.

Pessoas posam para foto

 



FONTE

Comentários estão fechados.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp