Justiça torna réus 8 denunciados por morte de garota prensada por carro alegórico na Sapucaí


Denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro responderão por homicídio culposo; caso aconteceu em abril de 2022, durante desfile da escola de samba Em Cima da Hora

Reprodução/Facebook/@diegojuradoImagem focada no rosto de Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, morta em acidente bi Caranaval carioca
Garota chegou a ser internada e passou por procedimentos médicos, mas não resistiu

A Justiça do Rio de Janeiro tornou réus os 8 denunciados pela morte de Raquel Antunes, garota de 11 anos que foi prensada por um carro alegórico contra um poste no carnaval de 2022. Segundo o TJ-RJ, há materialidade suficiente para justificar a abertura da ação penal. A denúncia foi oferecida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), que foi além do que a polícia fluminense, que havia denunciado apenas cinco pessoas. O caso aconteceu em abril de 2022, durante os desfiles do Carnaval, que, por causa da Covid-19, foram adiados da data original. Raquel Antunes estava na dispersão da Marquês de Sapucaí quando foi prensada por um carro alegórico da escola de samba Em Cima da Hora. Ela foi socorrida e levada ao hospital, onde teve membros amputados. Entretanto, a jovem não resistiu e morreu no dia seguinte ao desfile. Os oito réus responderão por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e deverão ser ouvidos pela Justiça do Rio de Janeiro em breve. O caso fez com que novas medidas de segurança, especialmente na dispersão dos desfiles na Sapucaí, fossem adotadas para o carnaval de 2023.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga





FONTE

Comentários estão fechados.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp