PNUD abre 28 vagas de TI para atuação no Programa Justiça 4.0


O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) seleciona 28 pessoas para os cargos de Analista Desenvolvedor Back-end Sênior (18), Analista Desenvolvedor Front-end Sênior (8) e Analista DevOps Sênior (2) para trabalhar no Programa Justiça 4.0. As oportunidades são para atuação em tempo integral. Não há exigência de dedicação exclusiva, mas as pessoas selecionadas deverão estar disponíveis durante oito horas diárias, em horário comercial.   

O trabalho é remoto e o idioma é o português. Conhecimentos em inglês serão úteis para atividades cotidianas, como leitura de documentações, realização de pesquisas e uso de softwares com autonomia.    

 Analista Desenvolvedor Back-end Sênior – Remoto   

18 vagas. Inscrições até 18/1

Será responsável pelo desenvolvimento back-end para atender requisitos funcionais e não funcionais, empregando processos de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação e ferramentas previamente definidas. Para isso, modelará requisitos e artefatos com diagramas da UML, empregará a linguagem de programação Java e o framework Spring Boot no desenvolvimento e em testes automatizados, e contribuirá para a definição e priorização do backlog do produto, do cronograma de projeto e dos backlogs de sprints, bem como na realização de cerimônias e outros artefatos.  

É exigido diploma universitário avançado (mestrado ou equivalente) nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou afins. Também serão consideradas pessoas com graduação (bacharelado) em Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou áreas relacionadas, com dois anos de experiência.  

É desejável experiência no framework Spring Boot, em outras linguagens de programação (Python ou JavaScript), no desenvolvimento de artefatos de back-end (em especial APIs RESTful), na construção de microsserviços, no desenvolvimento de soluções baseadas em containers, e em métodos ágeis. É necessário conhecimento no uso de ferramentas de gestão de código-fonte (Git, GitLab, GitHub e congêneres) e de gerência do ciclo de vida de projetos (Jira, Bugzilla, Rubicon). Experiência no desenvolvimento de soluções para o Poder Judiciário será considerada um diferencial.  

Para mais informações, acesse o anúncio da vaga. 

Analista Desenvolvedor Front-end Sênior – Remoto   

8 vagas. Inscrições até 18/1

Será responsável por desenvolver a interface gráfica de usuário. Codificará os artefatos necessários ao atendimento dos requisitos funcionais e não funcionais da solução, empregando processo de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação e ferramentas previamente definidas. Empregará o framework Angular, o framework de referência UIKit, da PDPJ-Br, e a linguagem de programação TypeScript no desenvolvimento de artefatos de front-end. Desenvolverá artefatos de testes automatizados e contribuirá para a definição e priorização do backlog do produto, do cronograma de projeto e dos backlogs de sprints, bem como na realização de cerimônias e outros artefatos.  

É exigido diploma universitário avançado (mestrado ou equivalente) nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou afins. Também serão consideradas pessoas com graduação (bacharelado) em Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou áreas relacionadas, com dois anos de experiência.  

É desejável experiência no framework Angular, no desenvolvimento de interfaces gráficas de usuários conectadas a APIs REST, com artefatos de software para implementação da interface gráfica dos usuários, e no desenvolvimento de componentes visuais. Também é necessário experiência com utilização de bibliotecas de componentes visuais (Angular Material, Prime NG), métodos ágeis, desenvolvimento de soluções baseadas em computação na nuvem, Virtual Machines (VMs), containers Docker e Kubernetes, ferramentas de gerência do ciclo de vida de projetos (Jira, Bugzilla, Rubicon), e ferramentas de gestão de código-fonte (Git, GitLab, GitHub). Experiência no desenvolvimento de soluções para o Poder Judiciário será considerada um diferencial.  

Para mais informações, acesse o anúncio da vaga. 

Analista DevOps Sênior – Remoto   

2 vagas. Inscrições até 19/1

Será responsável pelo desenvolvimento, integração, configuração de infraestrutura e entrega dos artefatos de software. Contribuirá nas fases de definição dos requisitos funcionais e não funcionais, empregando processos de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação, tecnologias de infraestrutura, incluindo na nuvem, e ferramentas previamente definidas.  

É exigida graduação, preferencialmente, nas áreas de Tecnologia da Informação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Engenharia de Software, Análise de Sistemas, Engenharia da Computação ou áreas afins, com no mínimo quatro anos de experiência. Também podem se candidatar pessoas com ensino médio completo e no mínimo sete anos de experiência relevante na área TI.  

É desejável experiência com ferramentas de orquestração de containers (Rancher, Kubernetes e AWS ECS/ECR), ferramentas de suporte à integração e entrega contínuas (Jenkins, AWS Code Pipeline, CircleCI, Gitlab CI, Github Actions), ferramentas Chef ou Ansible, ferramentas de gerência de mensagens (RabbitMQ, Kafka, ActiveMQ), ferramentas de monitoramento (Zabbix; Kibana, Glowroot, Graphana, Prometheus), conhecimentos sólidos em linguagens de scripting (Bash, Python e JavaScript), Java e framework SpringBoot, bem como experiência em desenvolvimento orientado a testes (TDD) e em métodos ágeis. Também é necessário ter domínio no desenvolvimento e na gestão de integração, entrega e sustentação de soluções baseadas em containers. Experiência no desenvolvimento de soluções para o Poder Judiciário será considerada um diferencial.  

Para mais informações, acesse o anúncio da vaga. 

Entenda a seleção     

O processo seletivo é composto por três etapas: inscrição, entrevista e checagem das referências profissionais fornecidas. Os currículos serão analisados pelo PNUD, que selecionará uma lista de pessoas a ser entrevistadas por um painel de especialistas. Devido ao grande número de candidaturas, o PNUD entrará em contato apenas com as pessoas pré-selecionadas.    

A contratação será feita na modalidade National Personnel Services Agreement (NPSA), com salário competitivo, de acordo com o mercado. Essa modalidade é um instrumento próprio do PNUD, utilizado internacionalmente para padronizar e viabilizar a admissão de profissionais especializados por tempo determinado. Ela garante benefícios como seguro-saúde, seguro de vida e férias.    

Justiça 4.0    

Iniciado em 2020, o Programa Justiça 4.0 é fruto de um acordo de cooperação firmado entre o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e o PNUD, com apoio do Conselho da Justiça Federal (CJF), Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT). Seu objetivo é desenvolver e aprimorar soluções tecnológicas para tornar os serviços oferecidos pela Justiça brasileira mais eficientes, eficazes e acessíveis à população, além de otimizar a gestão processual para magistrados, servidores, advogados e outros atores do sistema de Justiça.     

A iniciativa também dialoga com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e com a Agenda 2030 da ONU.

Saiba mais sobre o programa



FONTE

Comentários estão fechados.

Quer acompanhar
todas as notícias
em primeira mão?

Entre em um de nossos
grupos de WhatsApp