Preço da cesta básica sobe em 14 capitais brasileiras em abril, aponta pesquisa

[ad_1]

Levantamento mostra que o conjunto de alimentos básicos mais caro do país segue sendo o de São Paulo

ANDRÉ PERA/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDOPessoa segura cesta básica
Valor da cesta básica aumenta em 14 das 17 capitais do Brasil

A Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, divulgada mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), apontou que o valor da cesta básica subiu em 14 das 17 capitais brasileiras em abril. De acordo com o levantamento, apenas em Natal que o preço médio caiu 1,48% em relação a março, em Salvador (-0,91%) e Belém (-0,57%). Entre as capitais que mais registraram aumento no custo da cesta básico estão Porto Alegre (5,02%), Florianópolis (3,65%), Goiânia (3,53%), Brasília (3,43%) e Fortaleza (3,38%). A pesquisa mostra que a cesta básica mais cara do país segue sendo a de São Paulo, o que acontece desde o início de 2023. Em abril, o conjunto dos alimentos básicos na capital paulista foi encontrado em média de R$ 794,68. Na sequência estavam as cestas de Porto Alegre (R$ 783,55), Florianópolis (R$ 769,35) e do Rio de Janeiro (R$ 750,77). Nas cidades do Norte e do Nordeste, onde a composição da cesta é diferente, os menores valores médios foram registrados em Aracaju (R$ 553,89), Recife (R$ 582,26), João Pessoa (R$ 585,42) e Salvador (R$ 585,99). O Dieese ainda calculou qual seria o salário mínimo ideal no país para cobrir as despesas com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência. Para o departamento, o valor deveria ter sido de R$ 6.676,11 em abril, ou 5,13 vezes superior ao que o mínimo valia no mês passado (R$ 1.302,00). No feriado do Dia do Trabalho, o governo federal anunciou o reajuste no valor do novo salário mínimo do país. A partir deste mês, ele passa a valer R$ 1.320,00.



[ad_2]

FONTE

Comentários estão fechados.